“Recife das Pontes”. Apresentação especial de Myriam Brindeiro

No passeio de catamaran do Bloco Carnaval Poeta, apresentação de Myriam Brindeiro. “Recife das Pontes”.

Recife, 12 de janeiro de 2018
Fotos de Hilton Leão (81) 99901-4729

Recife das Pontes
Letra e música de Myriam Brindeiro

Recife das pontes
Que atravessei
Na estrada da vida
Por onde andei
Recife dos rios
Recife do sol
Cidade sofrida
Mas que é farol

Recife: Capibaribe, Beberibe
Recife: Boa Viagem, Boa Vista
Recife: Casa Amarela, Casa Forte
Recife: Dois Unidos, Dois Irmãos

Recife das pontes
A aproximar
Baixadas e montes
Ilhas a juntar
Recife dos altos
Recife do mar
Cidade encantada
Sempre a flutuar

Recife: Encanta Moça, Madalena
Recife: Espinheiro, Macaxeira
Recife: Campo Grande, Caxangá
Recife: Afogados, Tejipió

Recife das pontes…
Trazendo o porquê
Se seguir adiante
Sem mesmo saber
Recife da reza
Recife do crer
Cidade bendita
Para se viver

Recife: Santo Antônio, São José
Recife: Santo Amaro, Apipucos
Recife: Arruda, Torre, Alto do Céu
Recife: Graças, Benfica, Largo da Paz

CRÉDITOS
Myriam Brindeiro – composições musicais e voz
José Gomes – partituras para piano
Antônio Guedes – violões, nylon, aço teclados, percussão, guitarra com efeitos, contrabaixo, bandolim
Niro Loureiro – técnica, mixagem e concepção de arranjos
Produção musical – Antônio Guedes
Producão executiva – Myriam Brindeiro

 

Edicão e arte do vídeo: Cláudia Cordeiro Tavares da Cunha Melo

Ladeiras de Olinda, frevo canção

Ladeiras de Olinda
(Letra e música de Myriam Brindeiro)

A Alberto, meu marido

Eu quero morrer aqui,
Nessas ladeiras qu’eu sempre subi!

Fazer o passo atrás de Lenhadores,
Ver maracatus e bumbas meu boi.
Os papagaios contemplando a Sé.
Circo Nerino, jogo de botão
Fugir de casa para serenatas,
Banhos na bica, cuscuz e passeatas
Jogar pelada junto do Fortim,
Bonde de Olinda, tenha pena de mim!

A ventania perto do Seminário,
A rua estreita quase sem iluminação,
Subterrâneos talvez imaginários,
Ribeira dos escravos na solidão!

Eu quero morrer aqui,
Nessas ladeiras qu’eu sempre subi!

Ver mamulengos quase improvisados,
Homem da Meia-Noite andando na escuridão,
Farolito, retretas, no Carmo, a alegria,
Toinho das Moças atendendo no balcão
A liberdade agora conquistada,
O grito de Bernardo soando na imensidão,
Pitombeiras e Elefante de braços dados,
E eu, no meu delírio, chorando na multidão!

Eu quero morrer aqui,
Nessas ladeiras qu’eu sempre subi!

_________

Ladeiras de Olinda, primeiro lugar no concurso “Uma Canção para Olinda” em 1978

Letra e partitura publicadas no livro Clave Provisória. Recife: Edições Pirata, 1983, 2 ed.

“Recife das Pontes” no Catamaran Tours

Recife, 12 de janeiro de 2018. Myriam Brindeiro e Lourdes Nicácio (à direita) à espera do embarque no catamaran.

Recife, 12 de janeiro de 2018. Myriam Brindeiro e Lourdes Nicácio (à direita) à espera do embarque no catamaran.

Na última sexta-feira, dia 12 de janeiro, Myriam Brindeiro participou do tour organizado por Marcos Carneiro, numa das balsas do Catamaran Tours, no Recife.

Recife, 12 de janeiro de 2018. Myriam Brindeiro e Geruza Carvalho no catamaran.

Recife, 12 de janeiro de 2018. Myriam Brindeiro e Geruza Carvalho no catamaran.

Na oportunidade, presenteou os convidados cantando o frevo “Recife das Pontes”, do CD “Myriam Brindeiro canta Myriam Brindeiro, que vem fazendo especial sucesso entre aqueles que cultuam suas composições.

A primeira foto foi enviada por Raphaela Nicácio e, a segunda, por Melchiades Montenegro Filho. Myriam agradece.

Ouça o vídeo legendado. Clique no play:

Recife das Pontes
Letra e música de Myriam Brindeiro

Recife das pontes
Que atravessei
Na estrada da vida
Por onde andei
Recife dos rios
Recife do sol
Cidade sofrida
Mas que é farol

Recife: Capibaribe, Beberibe
Recife: Boa Viagem, Boa Vista
Recife: Casa Amarela, Casa Forte
Recife: Dois Unidos, Dois Irmãos

Recife das pontes
A aproximar
Baixadas e montes
Ilhas a juntar
Recife dos altos
Recife do mar
Cidade encantada
Sempre a flutuar

Recife: Encanta Moça, Madalena
Recife: Espinheiro, Macaxeira
Recife: Campo Grande, Caxangá
Recife: Afogados, Tejipió

Recife das pontes…
Trazendo o porquê
Se seguir adiante
Sem mesmo saber
Recife da reza
Recife do crer
Cidade bendita
Para se viver

Recife: Santo Antônio, São José
Recife: Santo Amaro, Apipucos
Recife: Arruda, Torre, Alto do Céu
Recife: Graças, Benfica, Largo da Paz

CRÉDITOS
Myriam Brindeiro – composições musicais e voz
José Gomes – partituras para piano
Antônio Guedes – violões, nylon, aço teclados, percussão, guitarra com efeitos, contrabaixo, bandolim
Niro Loureiro – técnica, mixagem e concepção de arranjos
Produção musical – Antônio Guedes
Producão executiva – Myriam Brindeiro

 

Edicão e arte do vídeo: Cláudia Cordeiro Tavares da Cunha Melo

Fotos: Marcus Prado

 Page 1 of 6  1  2  3  4  5 » ...  Last »