Myriam Brindeiro canta Manuel Bandeira: “Bacanal” (1)

Slide3site

Resgate total do frevo de bloco composto por Myriam Brindeiro para o poema “Bacanal”, de Manuel Bandeira. Levado a público em 09 de fevereiro de 2012, quando da inauguração da Troça Carnavalesca Mista Bacanal, hoje Troça Carnavalesca Mista Bacanal do Bandeira

1. Frevo em MP3 e Poema

  1. CANTE COM MYRIAM BRINDEIRO

Abaixo, o áudio e, a seguir, letra do poema. 

BACANAL

Manuel Bandeira

Nasceu a 19 Abril 1886 (Recife, Pernambuco, Brasil) Morreu em 13 Outubro 1968 (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil) Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho foi um poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro.

Nasceu a 19 Abril 1886
(Recife, Pernambuco, Brasil)
Morreu em 13 Outubro 1968
(Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil)
Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho foi um poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro.

Quero beber! cantar asneiras
No esto brutal das bebedeiras
Que tudo emborca e faz em caco…
Evoé Baco!

Lá se me parte a alma levada
No torvelim da mascarada.
A gargalhar em doudo assomo…
Evoé Momo!

Lacem-na toda, multicores
As serpentinas dos amores,
Cobras de lívidos venenos…
Evoé Vênus!

Se perguntarem: Que mais queres,
Além de versos e mulheres?…
– Vinhos!… o vinho que é meu fraco!…
Evoé Baco!

O alfanje rútilo da lua,
Por degolar a nuca nua
Que me alucina e que eu não domo!…
Evoé Momo!

A Lira etérea, a grande Lira!…
Por que eu extático desfira
Em seu louvor versos obscenos.

 

 

Myriam Brindeiro já compôs mais de 200 canções a partir de poemas de poetas pernambucanos.

Myriam Brindeiro já compôs mais de 200 canções a partir de poemas de poetas pernambucanos.

 

 

Créditos

 

Poema de Manuel Bandeira (Livro “Carnaval”)

Música de Myriam Brindeiro

Arranjos do Maestro José Gomes

Músicos Rafael (violão), Henrique Travassos (flauta), Fernando Souza (pandeiro).

 

 

 

 

 

 

Myriam Brindeiro presente no evento “Alberto da Cunha Melo, para todos, para sempre”

Janeiro de 2017. Myriam Brindeiro no Parque 13 de Maio, junto da estátua do poeta Alberto da Cunha Melo.

Janeiro de 2017. Myriam Brindeiro no Parque 13 de Maio, junto da estátua do poeta Alberto da Cunha Melo.

Estive no Parque 13 de Maio, no mês de janeiro para visitar a estátua do grande amigo Alberto da Cunha Melo, com quem tive larga convivência nos décadas de 70 e 80, tanto na Fundaj, como nas oficinas das Edições Piratas. Os livros eram encadernados no terraço da minha casa. Agora voltarei para apresentar, acompanhada por Antonio Guedes,  3 canções que compus, a partir de poemas de Alberto da Cunha Melo. Elas fazem parte do CD Li Sons de Poesia 2.  O evento ALBERTO DA CUNHA MELO, PARA TODOS, PARA SEMPRE, homenageia o 75 anos que ele faria se ainda vivo. E acontecerá no dia 8 de abril, a partir das 15. Ouça as canções.

03. Cartaz – Alberto da Cunha Melo

04. Canto dos Emigrantes – Alberto  da Cunha Melo

05. Um diálogo um poema – Alberto  da Cunha Melo

 

 Page 1 of 8  1  2  3  4  5 » ...  Last »